PERDÃO, A CURA DA ALMA

Vivemos num mundo totalmente contaminado pela maldade do ser humano. A grande maioria das pessoas tem sido influenciada pela impiedade predominante e tem praticado toda sorte de males. Em razão disso, os indivíduos vivem digladiando uns contra os outros e guardando fortes mágoas e raiva contra o próximo e tendo grande dificuldade em perdoar o seu ofensor.
No Evangelho de Mateus 18:23-35, encontramos a parábola do credor incompassivo, por meio da qual o Senhor Jesus ensina aos seus seguidores sobre o alto valor do perdão. O Senhor narra a história de um rei que perdoou uma grande dívida de um de seus servos, o qual não teve a mesma compaixão de seu companheiro e sofreu as consequências de sua maldade.

Perdão de uma dívida impagável
No texto de Mateus 18:23-25, Jesus ensina aos seus discípulos o motivo pelo qual se deve perdoar sem limites. Deus nos perdoou de uma dívida que jamais seriamos capazes de pagá-la. Precisamos ter clara consciência do grande perdão que recebemos do Rei do universo.
Conforme Efésios 2:1-3, estávamos mortos em nossos delitos e pecados, andando segundo o curso deste mundo e do príncipe da potestade do ar. Tínhamos uma dívida impagável.

Perdão pela compaixão divina
Deus, pela sua grande compaixão, nos concedeu o perdão de todas as maldades e pecados que cometemos em nossa jornada terrena e nos outorgou a salvação em Cristo, Mateus 18:26-27.
Necessitamos valorizar sobremaneira o amor e a misericórdia de Deus para conosco. Em Efésios 2:4-5, observamos que o Senhor nos concedeu vida juntamente com Cristo, pela sua graça. Sejamos sempre gratos ao nosso Deus por tão grande compaixão a nós manifestada.

Perdão incondicional ao próximo
Jesus nos ensinou que não podemos deixar de perdoar àquele que nos deve, Mateus 18:28-30. Pelo fato de também sermos pecadores, não nos compete condenar as faltas dos outros.
Devemos procurar entender as debilidades e erros das pessoas com quem convivemos e perdoá-las de todo o nosso coração. Não podemos ser rigorosos diante das falhas do nosso próximo, pois o Senhor nos ressuscitou e nos fez assentar nos lugares celestiais, Efésios 2:6.

Perdão libertador da prisão
Naquela época havia sérias consequências para os que não podiam pagar suas dívidas. O devedor podia ser enviado para a prisão, onde seria atormentado, Mateus 18:31-35. Muita gente vive aprisionada em razão de suas faltas cometidas. Outras, também estão aprisionadas pela falta de perdão para com o seu próximo. Vivem com a alma ferida por mágoas e ressentimentos, sem usufruir da suprema riqueza da graça divina, Efésios 2:7.
Com gratidão a Deus por ter nos perdoado de uma dívida impagável, pela sua compaixão, sejamos bondosos e misericordiosos para com todos, perdoando os seus erros e falhas.

Pr. Advanir Alves Ferreira